Informação sobre tendinite, causas, sintomas e tratamento da tendinite, com diagnóstico da tendinite Aquiles, de De Quervain, patelar, do tibial e outras, com dicas que podem ajudar quem sofre desta patologia, identificando formas de prevenção.


terça-feira, 23 de setembro de 2014

Anatomia e diagnóstico de tendinite peroneal

Existem dois tendões peroneais que correm ao longo da parte de trás do perónio (fibular curto e fibular longo). Fibular curto é assim chamado porque tem um músculo mais curto e começa na parte inferior da perna. Em seguida, passa em torno da parte posterior do osso chamado fíbula (do lado de fora da perna) e conecta-se ao quinto metatarso, isto é, no lado do pé. O fibular longo leva o seu nome, porque tem um percurso mais longo. Inicia-se na perna e percorre todo o caminho por baixo do pé para ligar no primeiro metatarso, do outro lado. Ambos os tendões, partilham parte do trabalho principal de eversão ou rodagem do tornozelo para o lado de fora. Os tendões são mantidos numa ranhura por detrás de parte da fíbula e tem tecido do tipo ligamentar por cima deles,chamado de "retinaculum."

O diagnóstico de tendinite peroneal pode ser feito em grande parte pela história do paciente. A tendinite peroneal resulta de uso excessivo de uma atividade, aumento rápido e recente da atividade, ou erros de treinamento, sendo que o paciente apresentará dor nas costas do tornozelo. Existe dor no exame de palpação sobre os tendões fibulares. É importante distinguir esta dor, da dor sobre a fíbula, que pode indicar um problema diferente (ou seja, reação de estresse do osso). Dor na fíbula ocorre diretamente sobre o osso e é facilmente palpável.
Dor peroneal ocorre um pouco mais para trás. Existe também a dor com a inversão ou a rotação do tornozelo para o lado de fora. Os pacientes também podem sentir fraqueza na tentativa de trazer o tornozelo para o lado de fora. É importante olhar para a postura do calcanhar, que, como se referiu acima, nesta condição, significa que o calcanhar está virado para dentro, podendo predispor o paciente ao problema. Os exames também podem incluir o uso de radiologia. Raios-X serão tipicamente normais. O ultra-som é uma forma muito eficaz e relativamente barata para avaliar os tendões. Uma ressonância magnética também é igualmente importante para avaliar a condição.

Índice dos artigos relativos a Tendinites

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL